Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto
  Gêneros dos textos  
  Artigos (651)  
  Contos (939)  
  Crônicas (730)  
  Ensaios (169)  
  Entrevistas (35)  
  Infantil (202)  
  Pensamentos (640)  
  Poesias (2496)  
  Resenhas (129)  

 
 
Bagunçando Brasília.
Airo Zamoner
R$ 30,50
(A Vista)



Arquitetura-03-418
Airo Zamoner
R$ 104,00
(A Vista)






   > Suindara, a corujinha pop star



Elisabeth Silva de Almeida Amorim
      INFANTIL

Suindara, a corujinha pop star

Numa linda tarde de verão as aves resolveram fazer uma grande festa de confraternização. Escolheram o local e uma ave avisava a outra, contanto que cada pássaro teria que levar o que ele tinha de melhor para socializar com os demais. E assim ficou combinado, escolheram uma árvore bem frondosa à beira da estrada e o evento ficou para o dia seguinte às três horas.

No dia da festa, desde o amanhecer as aves voavam para o local combinado. A copa da árvore ficou pequena para tantos pássaros, à tarde já não tinha mais espaço. E os pássaros ficaram sobrevoando, à beira da estrada, nas árvores mais próximas... Ninguém queria perder o grande evento. O gavião, organizador da festa, tomou a palavra, ao perceber a presença do urubu, fez logo uma piada:

_ O que um urubu tem de especial para nos mostrar?

O urubu, bem tranquilo sem querer perder o seu dia com as provocações de um gavião responde:

_Amigo, eu tenho a paciência. Eu sou tão paciente que espero você morrer de inveja para eu banquetear.

Todas as aves sorriram. E o gavião recolheu as garras de imediato, pois era o que ele tinha de melhor. E prossegue como se nada tivesse ouvido:

_Amigos, gostaria de saber qual a contribuição da águia para o nosso reino? Águia faz mesmo o quê?

E a águia, astúcia que só ela, responde:

_Amigos, socializo com vocês a minha persistência e inteligência. Nós precisamos ser persistentes, nunca devemos desistir dos nossos sonhos, não importa o tamanho nem o quanto os outros achem ridículos... Sejam persistentes! Eu sou tão persistente que ao envelhecer não faço biquinho, recolho-me e destruo o bico velho para que outro novo nasça! Ser persistente é sinal de inteligência!

Novos sorrisos e aplausos, dessa vez para a águia. Fato que deixava o gavião irritado, pois queria ser a ave mais aplaudida. Desistiu de provocar os parceiros. Achou que o seu gesto não tinha sido notado, ficou sem graça diante da resposta inteligente da águia, e resolveu fechar o bico.

Os pardais também falaram do belo canto, as araras mostraram o colorido das penas, beija-flores mostraram a agilidade no bater acelerado das asas. E assim, cada ave tinha a sua importância dentro do grande reino. E o título que seria dado ao pássaro que mais chamasse a atenção fora recolhido. Porque todos chamavam a atenção nos espaços ocupados e no que faziam. Saborearam os frutos que ali estavam e foram para os próprios ninhos.

A festa tinha sido um sucesso!

No entanto, ninguém percebeu a ausência da amiga Suindara, a corujinha rasga-mortalha. As três horas em ponto, encontram-se Suindara e seu bando à espera da festa. Elas não perceberam que a festa tinha acontecido às 15h ou seja 3 da tarde, horário em que elas dormiam. Olhavam de um lado para outro e a mata em silêncio! Até que Suindara viu os restos de frutos pelo chão, e vários vestígios de um grande banquete... Enfurecida, a corujinha disse:

_Manas, a festa aconteceu fora do horário para que nós não participássemos... Vamos nos vingar!

Pensa daqui, pensa de lá. Não tinha nada a ser feito.

_ E aí, Suindara? Você pensou qual será a nossa vingança?

_ É... manas, acho que só lamentar por ter perdido a festa.

E assim, Suindara e seu bando se abraçaram, voando baixo, deram um grande e terrível lamento. O choro de Suindara acordou todas as outras aves e assustou os humanos. Até o motorista que cochilava ao volante se assustou com a Suindara... E desde aquela noite, Suindara, a corujinha rasga-mortalha, tornou-se a pop star daquele reino. Ao ser entrevistada para falar o porquê do seu lamento ser tão assustador a ponto de atingir os animais racionais... Suindara, fazendo caras e bicos diante dos holofotes, responde:

_ Eu?! Sou a estrela do momento, não abrirei o bico sobre essa lenda, apenas brilho!

_____________________________
Bahia/ 2014

 



CADASTRE-SE GRATUITAMENTE
Você poderá votar e deixar sua opinião sobre este texto. Para isso, basta informar seu apelido e sua senha na parte superior esquerda da página. Se você ainda não estiver cadastrado, cadastre-se gratuitamente clicando aqui