Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto
  Gêneros dos textos  
  Artigos (653)  
  Contos (939)  
  Crônicas (730)  
  Ensaios (169)  
  Entrevistas (35)  
  Infantil (204)  
  Pensamentos (643)  
  Poesias (2504)  
  Resenhas (129)  

 
 
Cidades-01-186
Airo Zamoner
R$ 0,00
(A Vista)



Dança de Salão, a...
Maristela Zamoner
R$ 36,60
(A Vista)






   > Meu grito



Elisabeth Silva de Almeida Amorim
      POESIAS

Meu grito

Meu grito é silencioso,

Meu grito é discreto,

Meu grito é não é cego.

Como é Meu grito?!

Meu grito é LITERÁRIO

Meu grito é DESMONTADO

Meu grito me faz companhia todas as noites...

No silêncio da madrugada, Meu grito brinca com as palavras que jogamos ao vento.

Nas sombras do dia, Meu grito se esconde horrorizado com as violências infantis, domésticas, sexuais...

Mas são nas águas da fonte que o Meu grito sacia sua sede. E sai renovado e mais desmontado ainda.

Onde Meu grito aparece?

Nem eu sei, pois ele é tão escorregadio que não consigo capturá-lo.

Porque o Meu grito não é mais só meu, se rebelou! Meu grito tornou-se Nosso grito!

Nosso grito quer sair, fugir... escapar das linhas traçadas

Nosso grito clama por um país melhor.

Nosso grito se assusta com a facilidade dos “rolezinhos” nos shoppings

Combinados pelas ondas, fios... da ignorância robótica.

Nosso grito tem como companhia a esperança, persistência, determinação ...

Que a Taça do Mundo seja realmente nossa!

E que o nosso grito de Gooool...

Seja também pela ética.


                  Bahia, junho/2014



CADASTRE-SE GRATUITAMENTE
Você poderá votar e deixar sua opinião sobre este texto. Para isso, basta informar seu apelido e sua senha na parte superior esquerda da página. Se você ainda não estiver cadastrado, cadastre-se gratuitamente clicando aqui