Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto
  Gêneros dos textos  
  Artigos (651)  
  Contos (939)  
  Crônicas (730)  
  Ensaios (169)  
  Entrevistas (35)  
  Infantil (202)  
  Pensamentos (640)  
  Poesias (2496)  
  Resenhas (129)  

 
 
DUBLE - A um passo em...
Guilherme Augusto...
R$ 49,60
(A Vista)



O HOMEM RELIGIOSO
Luis Carlos Lemos da...
R$ 28,00
(A Vista)






   > Pensativa



ALINE JULIANA PEREIRA DA SILVA
      PENSAMENTOS

Pensativa

Hoje amanheci com uma dor na alma...
talvez um cansaço, uma angústia ou ainda uma simples preguiça.

Hoje me levantei da cama e refleti mil vezes no que eu enfrentaria no decorrer do dia...
talvez algo irrisório,  a mesmice ou ainda algo estraordinário.

Hoje andei pelas ruas e perguntei o por quê das mudanças inesperadas e desastrosas, que mudam nossas percepções, desafiam nossos sentimentos e enriquecem nossas dúvidas.
talvez algo predestinado, algo merecido ou ainda puro azar.

Hoje, a cada esquina, a cada palavra dita, a cada olhar e a cada segundo, pude sentir meu coração acelerado, batendo contra o meu peito em um grito desesperador.
talvez culpa de algumas lembranças que me agonizam e me causam dor, talvez o medo dos desafios que podem surgir ou ainda em virtude da maldade dos outros.

Hoje eu passei o dia pensativa, tentando entender o mistério... a vida... o destino...
talvez em virtude de tudo que enfrentei, das coisas que estou carregando comigo ou ainda de tudo aquilo que enfrentarei.

Hoje eu digo "estou bem, obrigado!" e amanhã?
Será a mesmice, algo irrisório ou algo extraórdinário?

Como enfrentar a vida?
Como acabar com tudo aquilo que te machuca, quando você se apega a ele quando está triste?
Como esquecer tudo que se passou, quando você sente que quanto mais tenta, parece que menos consegue?
Como entender que acabou, se tudo que você mais sente, é que está apenas começando? Como superar, se até a própria palavra "fim" de traz medo? 

E será que a vida realmente tem voltas? Ou será que são aquelas pessoas que não querem desistir e correm atrás do que querem? Voltam atrás por que não querem perder?

Será que é impossível esquecer um amor intenso? Ou será que ficamos tão desesperados com medo de esquecer todos os bons momentos que se passaram, a ponto de viver uma ilusão, fingindo esquecer algo que você, no fundo, não quer esquecer?

As perguntas me invadem... me tomam... me levam...
Para onde? Não sei, sou apenas uma grau de areia, ou não.
Apena uma estrela apagada, talvez. 

Apenas pensativa...






CADASTRE-SE GRATUITAMENTE
Você poderá votar e deixar sua opinião sobre este texto. Para isso, basta informar seu apelido e sua senha na parte superior esquerda da página. Se você ainda não estiver cadastrado, cadastre-se gratuitamente clicando aqui