Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto
  Gêneros dos textos  
  Artigos (651)  
  Contos (939)  
  Crônicas (730)  
  Ensaios (169)  
  Entrevistas (35)  
  Infantil (202)  
  Pensamentos (640)  
  Poesias (2496)  
  Resenhas (129)  

 
 
Os Egmons
Airo Zamoner
R$ 40,40
(A Vista)



Os segredos de Lauriana
Airo Zamoner
R$ 25,50
(A Vista)






   > O homem é assim mesmo: adaptável



LAIRCE ANICETO CARDOSO DA SILVA
      CRôNICAS

O homem é assim mesmo: adaptável

As únicas duas coisas de que se pode ter certeza na vida são as mudanças e a morte.
 
Para a morte, só nos cabe a aceitação, agora, frente às mudanças, pode-se ter várias atitudes: suportá-las, negar a existência, tentar escapulir. Por fim, iremos perceber que o jeito é adaptar-se da melhor maneira a elas. Ou nos adaptamos às mudanças, ou o bonde passa, a fila anda e ficamos para trás.
 
Temos uma capacidade incrível para ajustar uma coisa à outra e promover o encaixe e a combinação perfeita para por tudo harmoniosamente nos seus devidos lugares. Basta acreditar em si mesmo.

 Veja o exemplo de Oscar Pistorius, atleta sul-africano de 25 anos que, por causa de uma deficiência que colocaria sua vida em risco, com menos de um ano de idade teve que amputar as pernas e adaptar-se às limitações que supostamente surgiriam.

Aos pais, coube a difícil decisão de submeter o filho a uma operação delicada e à incerteza das consequências que ela implicaria. Ao filho, coube a adaptação. E Oscar se adaptou de maneira inédita e esplêndida, sem qualquer precedente na história do esporte.

 Outro exemplo incrível é a gestação. Como é possível dividir parte do seu corpo com alguém? O corpo da mulher prepara-se, transforma-se e adapta-se a outros vários processos para abrigar, desenvolver, alimentar e proteger um novo ser.

 Pense em quantos casos de superação conhecemos ou ouvimos falar. Superar é ter a capacidade de fazer desaparecer e colocar-se de maneira superior a qualquer obstáculo em seu caminho. Superar nada mais é que adaptar-se às dificuldades impostas na sua vida.

 
Graças a Deus, a gente se acostuma às coisas. Pode ser até a contragosto, mas nos adaptamos a tudo. Ao calor e ao frio, a grandes espaços e a um quarto-e-sala, ao sol e a lua, ao barulho e ao silêncio, à noite e ao dia, ao branco e ao preto.
 
O homem é mesmo um ser adaptável e, por isso, de forma simples ou de forma mais complicada, adapta-se a tudo, às coisas boas e às ruins.
Adaptamo-nos à perda, à superação de uma doença, ao renascer após um grave acidente, a uma nova condição, às relações humanas ou a um emprego que nos deixa doentes.
 
Adaptamo-nos ao defeito alheio e até à ausência do defeito alheio. Às nossas falhas, deficiências, tolerâncias e intolerâncias.
 
Se a má notícia é que nos adaptamos às coisas boas, a boa notícia é que nos adaptamos às coisas ruins também; mas essa capacidade de se envolver com o momento que se vive para garantir a sobrevivência é, sem sombra de dúvidas, espetacular.
 
No entanto, é muito importante que fiquemos atentos para perceber se estamos nos adaptando a alguma situação ou nos acomodando a ela por preguiça ou mera estratégia para não promover as mudanças necessárias.
 



CADASTRE-SE GRATUITAMENTE
Você poderá votar e deixar sua opinião sobre este texto. Para isso, basta informar seu apelido e sua senha na parte superior esquerda da página. Se você ainda não estiver cadastrado, cadastre-se gratuitamente clicando aqui