Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto
  Gêneros dos textos  
  Artigos (651)  
  Contos (939)  
  Crônicas (730)  
  Ensaios (169)  
  Entrevistas (35)  
  Infantil (202)  
  Pensamentos (640)  
  Poesias (2496)  
  Resenhas (129)  

 
 
De escravos a livres
Itamar paulino de...
R$ 27,20
(A Vista)



Arquitetura-01-263
Airo Zamoner
R$ 104,00
(A Vista)






   > O coração de quem escreve e lê; Eterno Aprender



Fabrício Behine
      PENSAMENTOS

O coração de quem escreve e lê; Eterno Aprender

... Quando o coração se é  limpo, tudo se me parece melhor, calma, traquilidade, satisfação de poder amar as pessoas. Os sentimentos de cada um são únicos e próprios de cada ser que os possui. O desamor de um coração sujo de falsos e incorretos julgamentos, impulsiona à carência de sonhos -- gera infelicidades. E, quanto mais se é feliz, mais se pode continuar a sê-lo, através da simplicidade, sendo capaz de amar tudo o que é certo e bom. Amar o seu próprio lugar. Elevando o pensamento para além, lá em cima, conquanto não se possa muito fazer. Em tudo se deve estudar e aprender.Até as certas acepções dos termos usados por um escritor. Só os maus sentimentos fazem com que as pessoas leam mal, e compreendam, por fim, o que querem. Um bom coração consegue compreender outro bom coração. Até nas palavras escritas. É-me bom escrever, é bom estudar, escutar músicas, tocar. Imaginando os meus amigos-mestres ao lado, e agradecê-los, tanto mais ao citá-los. Foi de onde adveio a minha inspiração de lutar, tentando sempre-e-sempre. Admiro sua arte escrita -- não suas vidas pessoais. Suas vidas como artistas -- seus trabalhos. Dizer-me falho não é uma desculpa, mas uma verdade de qualquer ser humano. Não se esquece nada -- perdoa--se. E deixa num canto ensombrecido do passado. Tentar amar é ser feliz. É acertar. É entender o que se escreve, lê, e diz. Amor é o sentimento de um eterno aprendiz. Eu sou, fui e quero ser sempre assim. Encontrar-me em mim mesmo, nas pessoas e lugares que amo.
 
   Agradecimentos aos mestres:
           João Guimarães Rosa, Antonio Olinto, Adonias Filho, João Cabral de Melo neto, Jorge de Lima
           Cora Coralina, Antonio Torres, Fernando Sabino, Rubem Braga, José Lins do Rego............................................................................ 


CADASTRE-SE GRATUITAMENTE
Você poderá votar e deixar sua opinião sobre este texto. Para isso, basta informar seu apelido e sua senha na parte superior esquerda da página. Se você ainda não estiver cadastrado, cadastre-se gratuitamente clicando aqui