Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto
  Gêneros dos textos  
  Artigos (651)  
  Contos (939)  
  Crônicas (730)  
  Ensaios (169)  
  Entrevistas (35)  
  Infantil (202)  
  Pensamentos (640)  
  Poesias (2496)  
  Resenhas (129)  

 
 
Bagunçando Brasília.
Airo Zamoner
R$ 30,50
(A Vista)



O RETORNO DE SORAIA
José Sodré de...
R$ 52,30
(A Vista)






   > Pastores ou Sacerdotes?



Luiz Fernando Mendes Nunes
      ARTIGOS

Pastores ou Sacerdotes?

Pastores ou Sacerdotes?
 
                                                                                                                                                                             Luiz Fernando Mendes Nunes
 
 

             Muitas pessoas têm dado mais crédito ao que líderes evangélicos têm falado que propriamente buscado nas escrituras o conselho necessário para o viver que agrada e glorifica o Senhor. É verdade que Deus deixou líderes nas igrejas, a carta de Paulo aos Efésios capitulo 4 versículos 7 a 13 diz que quando Jesus subiu ao céu deu aos homens dons com o propósito do aperfeiçoamento dos santos, para edificação da sua igreja. Nesta carta, o apóstolo fala de alguns dons e muitos outros em outras cartas, mas nesta, ele fala de dons como, apóstolo, profeta, evangelista, pastores e doutores (ou mestres), está claro o propósito dos dons distribuídos na igreja, o crescimento e a maturidade cristã. Quando Deus assim fez, o fez para que o corpo de Cristo, que é a igreja, fosse crescendo dia a dia na graça e no conhecimento das escrituras e não ser levado por qualquer vento de doutrina. Como os irmãos poderiam crescer na graça se não houvesse quem os instruísse? Como os primeiros cristãos poderiam aprender da salvação, obediência e santificação se ninguém os ensinasse? Como poderiam aprender os fundamentos da fé em Cristo se ninguém os orientasse? Isso jamais deve ser anulado, contudo, há em muitas igrejas evangélicas uma busca frenética e desenfreada por ouvir o que certos líderes têm a dizer sobre os mais variados assuntos como se estes fossem os “iluminados” os “ungidos”, os “abençoados”, aqueles mais próximos de Deus, mais fervorosos.
          O cristão tem em suas mãos uma poderosa ferramenta que é suficiente para lhe fazer mais sábio e entendido para contornar qualquer situação ou demanda. Ferramenta esta que, diga-se de passagem, está quase que esquecida pelos próprios defensores do cristianismo. Veja o que diz o Salmo 119 versículos 97 a 99:
             "Oh! Quanto amo a tua lei! É a minha meditação em todo o dia. Tu, pelos teus mandamentos, me fazes mais sábio que os meus inimigos, pois estão sempre comigo. Tenho mais entendimento do que todos os meus mestres, porque os teus testemunhos são a minha meditação".
              Todavia, por falta de ser manejada, muitos têm deixado de beber da fonte de toda sabedoria e buscado em outras bocas a solução para seus conflitos. Certa vez o Senhor Jesus disse: “Errais, não conhecendo as Escrituras...” (Mateus 22:29). Erramos nas decisões, nos relacionamentos, nos acordos, em palavras, em ações, erramos por falta do conselho de Deus, não por que Ele não esteja pronto para nos orientar, mas por que muitos de nós não nos debruçamos em aprender mais da Palavra que nos transformou quando fomos congregados à família de Deus. A Palavra nos revela que o Espírito Santo ao habitar no crente, proporciona consolo, ilumina, guia, instrui, admoesta e faz com que os irmãos cresçam na graça e no conhecimento de Jesus Cristo, autor e consumador da fé. Este ensino parece que está em desuso.
            Além da Palavra viva, o Senhor Jesus ensinou os seus discípulos a orar, não uma oração antes de cada refeição ou antes de dormir, ou diante de um problema, Ele ensinou a ter vida de oração. No Evangelho de Lucas capítulo 18, versículo primeiro, o Senhor é muito claro e direto nesse assunto:
             “E contou-lhes também uma parábola sobre o DEVER de orar sempre, e nunca desfalecer” (grifo do autor).
            O apóstolo Paulo na carta aos Tessalonicenses traz o mandamento de orar sem cessar.  O mesmo apóstolo diz na sua carta aos Filipenses:
            “Não andeis ansiosos por coisa alguma; em TUDO, porém, sejam conhecidas, diante de Deus, as vossas petições, pela oração e pela súplica, com ações de graça. E a paz de Deus, que excede a todo entendimento, GUARDARÁ o vosso CORAÇÃO e a vossa MENTE em Cristo Jesus” (grifo do autor). Filipenses 4: 6 e 7
            Também lemos em Hebreus capítulo 4 versículo 16 as seguintes palavras:
          “Acheguemo-nos, portanto, confiadamente, junto ao trono da graça, a fim de recebermos misericórdia e acharmos graça para socorro em ocasião oportuna”.
           Todo cristão convertido tem acesso livre ao trono da graça. Todo cristão covertido tem privilégio da presença de Deus. Todo cristão convertido tem a Jesus Cristo, Sumo Sacerdote, que se compadece das nossas fraquezas, nossas limitações e Ele mesmo intercede por nós. Deus está pronto e disposto a ouvir nossas orações. Ele mesmo disse “de maneira alguma te deixarei, nunca jamais te abandonarei” Hebreus 13: 5.
            Cabe a nós, quatro atitudes:
CONFIAR – “confia no Senhor...” Salmo 37:3
DELEITAR – “deleite-se no Senhor...” Salmo 37:4
ENTREGAR – “entrega o teu caminho ao Senhor...” Salmo 37:5
DESCANSAR – “descansa no Senhor e espera nele...” Salmo 37:7
          Ser conduzido por Deus requer renúncia, confiança, dedicação no estudo da Palavra e vida de oração. Buscar os líderes religiosos é mais fácil e menos trabalhoso, ele (o líder) lê a bíblia, compreende o conselho de Deus, confronta o problema com textos bíblicos e, então, diz o que deve ser feito. Mas não foi isso que Deus nos instrui na Sua Palavra. Houve uma época em que o povo não tinha acesso à presença de Deus como hoje, e então se recorria ao profeta para buscar o conselho de Deus em qualquer demanda, isso aconteceu com Moisés no deserto em que o povo fazia longas filas para consultar a Deus (Êxodo 18:14 e 15). O caso de Moisés não é o único, naquela dispensação o povo realmente não tinha acesso à Deus, fazia-se necessário uma espécie de mediador, alguém que podia consultar e ouvir a voz do Soberano e, depois disso, instruir àquele necessitado no conselho de Deus. Samuel, Elias, Eliseu, Isaías, Jeremias, Zacarias, Arão, Eli, Melquisedeque e tantos outros profetas e sacerdotes do Antigo Testamento eram uma espécie de porta-vozes de Deus ao povo. Hoje não está muito diferente daquela época, longas filas e agendas lotadas de nomes e horários para serem atendidos pelos pastores; cristãos que foram ungidos com o Espírito Santo agendando com o pastor para ouvir o conselho de Deus. Cristãos ávidos por ouvirem a instrução do pastor. Cristãos que ainda necessitam de um mediador terreno. Cristãos carecendo da oração do seu chamado líder espiritual. Acho que a igreja está retrocedendo!
          Naquela dispensação o povo necessitava de condutores, pois o acesso à Deus era restrito a poucos homens santos. Hoje temos o que é perfeito em nossas mãos (a Palavra), temos a Unção em nossas vidas (o Espírito Santo), temos a certeza que Ele nos ouve e está pronto para responder ao nosso clamor. O que está em falta nos dias de hoje não é a Palavra poderosa de Deus, nem os cultos fervorosos, nem mesmo a liberdade de expressão neste país (digo do Brasil), mas sim a disposição de muitos cristãos em buscar o Senhor como diz no livro de Jeremias capítulo 29 versículo 13:
             “E buscar-me-eis, e me achareis, quando me buscardes de todo o vosso coração”.
              E ainda fala no capítulo 33 versículo 3:
             “Clama a mim, e responder-te-ei, e anunciar-te-ei coisas grandes e firmes que não sabes”.
            Disposição em estar sempre próximo de Deus, não como consequência de uma situação que foge ao controle, mas estar sempre próximo de Deus por amor a Ele, como forma de adoração, expressando a total dependência do Seu conselho.
           Parece que uma “preguiça” espiritual se instalou na vida de muitos cristãos. Hoje vivemos num período da era cristã que muitos dos chamados filhos de Deus não oram, não leem a bíblia, não vivem os ensinos de Deus e querem, não sei como, vencer o mal, ter vida equilibrada no trabalho, no casamento, nos projetos de vida. E, quando algo vai errado em alguma área da vida, lotam as agendas dos pastores, fazem “longas filas” para serem aconselhados, pedem inúmeras orações a quem aparece pela frente. Não foi isso que Deus nos ensinou. Não é esse viver que Cristo ensinou. Não é essa instrução que a Bíblia no dá.
       Gozamos de um privilégio único em todos os tempos da existência humana e muitos não querem usufruir. Somos privilegiados por ter a Unção em nossas vidas e muitos ainda não se aperceberam. Temos o manual de vida para seguir e muitos ainda não o seguem. Onde está o erro? Nos problemas? Nas demandas? Nos conflitos? No casamento? No trabalho? Na vida? Ou em você? Na sua confiança em Deus. Na sua disposição em obedecê-Lo. Na falta de oração. Na falta da leitura bíblica. Na falta de paciência em esperar a resposta Dele. No imediatismo. No querer logo uma resposta.    
           Se for para vivermos na dependência de líderes religiosos, porque o véu do templo se rasgou? Porque Cristo morreu? Porque Deus enviou o Consolador? Deus tem algo muito mais excelente para sua igreja do que ela realmente tem vivido, mas tristemente, muitos dos filhos do Altíssimo ainda preferem viver no modelo da Lei e não no modelo da Graça. A Graça nos deu liberdade. Deu-nos vida. Viva essa liberdade! Viva esse privilégio!
            A carta de Paulo aos Romanos capítulo 8 versículo 16, diz que o próprio Espírito Santo testifica com o nosso espírito que somos filhos de Deus, Paulo ainda afirma essa verdade falando aos Gálatas capítulo 3 versículo 26, onde diz: “pois todos vós sois filhos de Deus mediante a fé em Cristo Jesus”. Por que muito ainda hesitam em procurar o Pai das luzes? Por que muitos ainda hesitam em apresentar a Deus seus problemas? Por que muitos ainda preferem compartilhar com pessoas em vez de compartilhar com Deus?
            Está passando por um sério problema, não hesite, recorra em primeiro lugar a Deus, Ele mesmo disse “clama a mim”, Ele também disse “confia e descansa”. Saiba que o caminho para Deus já foi aberto, acesse-o e entre confiadamente.
 
 



CADASTRE-SE GRATUITAMENTE
Você poderá votar e deixar sua opinião sobre este texto. Para isso, basta informar seu apelido e sua senha na parte superior esquerda da página. Se você ainda não estiver cadastrado, cadastre-se gratuitamente clicando aqui