Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto
  Gêneros dos textos  
  Artigos (653)  
  Contos (939)  
  Crônicas (730)  
  Ensaios (169)  
  Entrevistas (35)  
  Infantil (204)  
  Pensamentos (642)  
  Poesias (2504)  
  Resenhas (129)  

 
 
Contos de Curitiba
Airo Zamoner
R$ 36,50
(A Vista)



Enjaule Poesia
José Herculano da...
R$ 49,90
(A Vista)






   > ATALHO DO AMOR



GENERINO GABRIEL DE JESUS
      POESIAS

ATALHO DO AMOR



(Para Dulcilene)
 
 
Tão simples
Quanto a água em cascata
Sem desdém nem vaidade
Faz da vida
Algo leve e explicável.
 
Tão singela
Quanto a beleza da flor
Sem medos nem arrogância
Faz da vida
Uma sublime existência.
 
Tão singular
Quanto a águia esvoaçante
Sem rodeios nem meias-verdades
Faz da vida
Abnegação e esplendor.
 
Tão sua, tão minha
Quanto mistério guarda no olhar!
Sem murmúrios nem apelos
Faz-me crer que a vida
É um singelo atalho do amor.
 
 
Juazeiro/BA, 28 de fevereiro de 2015.
 
Generino Gabriel


CADASTRE-SE GRATUITAMENTE
Você poderá votar e deixar sua opinião sobre este texto. Para isso, basta informar seu apelido e sua senha na parte superior esquerda da página. Se você ainda não estiver cadastrado, cadastre-se gratuitamente clicando aqui