Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto
  Gêneros dos textos  
  Artigos (651)  
  Contos (939)  
  Crônicas (730)  
  Ensaios (169)  
  Entrevistas (35)  
  Infantil (202)  
  Pensamentos (640)  
  Poesias (2496)  
  Resenhas (129)  

 
 
A Princesinha Adelaide...
Jayara Ribeiro Rocha
R$ 21,80
(A Vista)



Estátuas-01-157
Airo Zamoner
R$ 104,00
(A Vista)






   > Um Fim sem Dizer Adeus



Fernanda Geraldo de Lima Nunes
      ENSAIOS

Um Fim sem Dizer Adeus

Em um anoitecer estava sentada em um banco qualquer olhando aquela transição do céu claro para o escuro. Surgiu você do meu lado, em um banco contrário ao meu e sentando de forma que seu rosto ficou ao lado do meu rosto. Olhei-te e sorri, você me olhou e sorriu. Voltei a olhar o céu em que já surgiam as primeiras estrelas. Sua doce voz me dizia que não éramos para planejarmos nosso futuro, éramos para deixar o dia ser simplesmente um encontro de entrega, de amor, de amizade como tinha sido até aquele momento.
Não sabia que seria o fim. Mentira minha. Coração palpitando já sentia que era a despedida. Um fim que não claramente dito fim, mas que foi. Não havia conhecido um fim tão doce, tão amado, um fim tão generoso. Talvez tenha sido porque não tenha sido claramente dito: acabou.
Um início tão natural, tão repentino, tão igualmente sem o fim ter sido anunciado, um começo tão inesperado. Aconteceu. Quando me dei conta seus lábios encontravam meus lábios, um “amasso”, uma pegada... Apaixonei-me. Sem querer que isso acontecesse, mas ao mesmo tempo querendo... Uma explosão de sentimentos! Permiti-me ser sua.
Acabada de ser “quebrada” estava eu tão fragilizada, sem querer nada, sem amar nada, sem desejar nada, me surge você com uma expressão que dizia: deseja-me, ama-me, porque eu já te desejo, eu te amo, queira-me, porque eu te quero.
Fui me envolvendo, fui me entregando, fui te amando... Tornei-me sua amiga e você meu amigo, conversávamos horas. É bem verdade que éramos dois carentes, dois seres problemáticos que precisavam preencher um o vazio do outro. Suas preocupações, seus filhos, a família que você sonhava em ter, alguém que pudesse cuidar de você... Minhas preocupações, meus conflitos familiares e internos, minha falta de experiência no que diz respeito ao amor corpo a corpo, minha imaturidade... Confidenciávamos tudo isso, era uma espécie de alívio. Precisávamos desse momento. Eu te ouvia, você me ouvia. Você me beijava, eu te beijava. Abraçávamos. Ficávamos em silêncio. Parecia tudo tão perfeito em meio a tantas impossibilidades de darmos continuidade ao que fizemos dizer ser amor. Mas eu te amei, e como te amei... Tanto te amei que do amor permaneceu a ternura.
Estar ao seu lado era bom. Seu jeito de falar, de sorrir eu levo em minha lembrança e eu não desejo esquecer nunca, porque era tão bom que é bom recordar.Não posso esquecer, não quero esquecer, foi um capítulo bom do livro da minha vida.
Via-te, mas você não me via. Fui atrás de você, te encontrei, mas não tive a coragem de te dizer: fica comigo, ou melhor, me leva contigo. Talvez fosse medo de ouvir um não, talvez eu mesma não estivesse pronta para ser totalmente sua. A verdade é que era uma criança que de nada sabia e que você já era um homem formado e queria uma mulher de verdade e não mais uma filha. Pensei eu: tenho que deixá-lo viver.
Depois fantasiei que você iria atrás de mim, em um cavalo branco e me diria: vem comigo meu amor, te farei a mulher mais feliz do mundo e seremos felizes para sempre! Acordei. Lembrei que nem ao menos meu endereço você possuía. Nunca você iria me encontrar. Mas se você tivesse meu endereço, você iria me buscar?
Por que ele não me procurou era uma pergunta que de vez em quando eu me fazia, fazia para as paredes, para as plantas, para o céu, para Deus!
Mas fico eu a pensar que se tivesse sido tudo diferente, se nós tivéssemos ficado juntos, será que estaríamos até hoje nos amando? Não sei...
 
A vida segue. O mundo gira e permite que o tempo passe. Amores vêm e vão. Mentira.  Não amei mais ninguém até chegar um novo e verdadeiro amor e o único depois daquele romance que não teve um fim anunciado. Esse novo amor veio para suprir toda a falta que você me fazia. Sou feliz com ele. É um novo capítulo do livro da minha vida. Sei que você está feliz também. Nós desejávamos a plena felicidade, e conseguimos. Não somos a metade um do outro, mas isso já não importa mais. Somos felizes!
                                                                                                                          


CADASTRE-SE GRATUITAMENTE
Você poderá votar e deixar sua opinião sobre este texto. Para isso, basta informar seu apelido e sua senha na parte superior esquerda da página. Se você ainda não estiver cadastrado, cadastre-se gratuitamente clicando aqui