Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto
  Gêneros dos textos  
  Artigos (653)  
  Contos (939)  
  Crônicas (730)  
  Ensaios (169)  
  Entrevistas (35)  
  Infantil (204)  
  Pensamentos (643)  
  Poesias (2504)  
  Resenhas (129)  

 
 
Arquitetura-03-418
Airo Zamoner
R$ 104,00
(A Vista)



LEGISLAÇÃO...
JONAS VIANA DE OLIVEIRA
R$ 83,70
(A Vista)






   > Só Hoje



Claudia Hosbach
      POESIAS

Só Hoje

 O Galho seco que não germina
 A vida que pulsa mais não sobrevive
 O olhar que clama e resiste
 A mão que pede e alimenta o sangue das veias
 O pensamento que reclama atenção
 O corpo escarpado de sofrimento
 sofrimento do pão, do vinho, do sabor
 Dieta amarrada e decidida
 Engolir a seco para continuar
 Esta é a minha realidade, de dia, de noite,
 Sei lá até quando
 Nao quero, não posso parar, esta é a vida
 A vida que eu não pedi para mim, a vida que quiseram me dar

 
 Amores perdidos, amores bandidos
 Amores sordidos, amores sentidos
 Amores de hoje, de ontem e de amanhã
 Amores eternos, amores de luz, amores secretos
 Amores da vida, da ida e da vinda
 Amores de todos os dias são amores eternos e inesquecíveis.

 Digno é viver sem ter medo de errar
 Digno é saber que a sua consciência é a sua verdade
 Digno é ser real imutável e inabalável
 Digno é ser verdadeiro, autêntico e transparente
 Digno é salvar seus princípios e levantar a bandeira da dignidade que são para poucos.


CADASTRE-SE GRATUITAMENTE
Você poderá votar e deixar sua opinião sobre este texto. Para isso, basta informar seu apelido e sua senha na parte superior esquerda da página. Se você ainda não estiver cadastrado, cadastre-se gratuitamente clicando aqui