Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto
  Gêneros dos textos  
  Artigos (651)  
  Contos (939)  
  Crônicas (730)  
  Ensaios (169)  
  Entrevistas (35)  
  Infantil (202)  
  Pensamentos (640)  
  Poesias (2496)  
  Resenhas (129)  

 
 
A arte de escrever,...
Airo Zamoner
R$ 49,80
(A Vista)



O PREGADOR
REGIS MEIRELES
R$ 37,30
(A Vista)






   > SEMEADURA



Tânia Gabrielli-Pohlmann
      CONTOS

SEMEADURA

Avistando um aglomerado de mercadores, um andarilho gritou, decidido:
- Atenção! Fechem o caminho; vou passar!
Surpreso ao sentir um toque em seu ombro, voltou-se e deparou com a razão:
- Por que agiste desta forma? Não sabes que é preciso caminho aberto para seguir adiante?
O andarilho, sentando-se sob gigantesca árvore de multividências, dirigiu-se à razão, num repente:
- Pedi que fechassem o caminho para que minha loucura não fugisse...
A razão, mais confusa que convencida, argumentou sem hesitar:
- Não há coerência no que dizes. Explica-te ou afasta-te de mim!
Cruzando os braços sobre os joelhos, o andarilho insistiu:
- Não desejei que minha loucura partisse, por não querer viver comprometido com tua existência mascarada...
A razão, indignada, protestou sem mais rodeios:
- E por que não desejas comprometer-te com alguém que te poderia trazer a felicidade? Olha a tua figura: é o protótipo do vencido pela loucura!
Sem mais esperar a chegada da noite, o andarilho levantou-se, limpando a terra em que sentara:
- Não sou vencido pela loucura! Apenas divido com ela a minha existência, por nada cobrar-me...


CADASTRE-SE GRATUITAMENTE
Você poderá votar e deixar sua opinião sobre este texto. Para isso, basta informar seu apelido e sua senha na parte superior esquerda da página. Se você ainda não estiver cadastrado, cadastre-se gratuitamente clicando aqui