Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto
  Gêneros dos textos  
  Artigos (638)  
  Contos (933)  
  Crônicas (730)  
  Ensaios (169)  
  Entrevistas (35)  
  Infantil (202)  
  Pensamentos (640)  
  Poesias (2496)  
  Resenhas (129)  

 
 
Coleção Cidadania
Airo Zamoner
R$ 49,70
(A Vista)



A leitura é...
Maristela Zamoner
R$ 31,20
(A Vista)






   > SEMEADURA



Tânia Gabrielli-Pohlmann
      CONTOS

SEMEADURA

Avistando um aglomerado de mercadores, um andarilho gritou, decidido:
- Atenção! Fechem o caminho; vou passar!
Surpreso ao sentir um toque em seu ombro, voltou-se e deparou com a razão:
- Por que agiste desta forma? Não sabes que é preciso caminho aberto para seguir adiante?
O andarilho, sentando-se sob gigantesca árvore de multividências, dirigiu-se à razão, num repente:
- Pedi que fechassem o caminho para que minha loucura não fugisse...
A razão, mais confusa que convencida, argumentou sem hesitar:
- Não há coerência no que dizes. Explica-te ou afasta-te de mim!
Cruzando os braços sobre os joelhos, o andarilho insistiu:
- Não desejei que minha loucura partisse, por não querer viver comprometido com tua existência mascarada...
A razão, indignada, protestou sem mais rodeios:
- E por que não desejas comprometer-te com alguém que te poderia trazer a felicidade? Olha a tua figura: é o protótipo do vencido pela loucura!
Sem mais esperar a chegada da noite, o andarilho levantou-se, limpando a terra em que sentara:
- Não sou vencido pela loucura! Apenas divido com ela a minha existência, por nada cobrar-me...


CADASTRE-SE GRATUITAMENTE
Você poderá votar e deixar sua opinião sobre este texto. Para isso, basta informar seu apelido e sua senha na parte superior esquerda da página. Se você ainda não estiver cadastrado, cadastre-se gratuitamente clicando aqui