Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto
  Gêneros dos textos  
  Artigos (651)  
  Contos (939)  
  Crônicas (730)  
  Ensaios (169)  
  Entrevistas (35)  
  Infantil (204)  
  Pensamentos (640)  
  Poesias (2501)  
  Resenhas (129)  

 
 
LEGISLAÇÃO...
JONAS VIANA DE OLIVEIRA
R$ 83,70
(A Vista)



O gatinho e o velho...
Airo Zamoner
R$ 10,80
(A Vista)






   > SEM ENGANO



Elisabeth Silva de Almeida Amorim
      POESIAS

SEM ENGANO

De repente o tempo passou

O relógio parou de marcar as horas

Não! Você não voltou

Simplesmente foi embora

E a solidão ameaçou...

 

Que longa espera!

Providencial, confesso.

Doce como a primavera

Consegui encontrar em cada verso

A força de uma pantera.

 

Cada lágrima no chão

Recolhidas no jardim

Cicatrizado o coração

O mundo sorriu para mim

Risquei a desilusão.

 

 

Ando em caminhos do amor

Escrevo como aprendiz

E de repente o sol brilhou

Sou feliz!

Conheci o nosso Salvador.

 

 

Finalmente enxerguei a luz

Amar a Deus em primeiro plano

E seu filho Jesus

Um amor que não tem engano

Não tem espera e sempre conduz.

             
                       Elisabeth Amorim, "Sem engano"
                    poesia mais lida em sua página no G +



CADASTRE-SE GRATUITAMENTE
Você poderá votar e deixar sua opinião sobre este texto. Para isso, basta informar seu apelido e sua senha na parte superior esquerda da página. Se você ainda não estiver cadastrado, cadastre-se gratuitamente clicando aqui