Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto
  Gêneros dos textos  
  Artigos (655)  
  Contos (940)  
  Crônicas (730)  
  Ensaios (169)  
  Entrevistas (35)  
  Infantil (207)  
  Pensamentos (645)  
  Poesias (2513)  
  Resenhas (130)  

 
 
A Secretaria do Oeste
Evaldo Cassol
R$ 43,20
(A Vista)



A VINGANÇA DO ANJO
Luc Ramos
R$ 32,10
(A Vista)






   > ...



Alexandre Carrara
      POESIAS

...

Rede mansa rede balança, 
Folheei flores, arranquei páginas, mordi o sofá perdi o sono atrás do sonho de ti fazer sonhar, gritar tão alto e espantar o beija-flor, correr atrás do vento, pegar um jacaré, voar pro infinito e além.
Nenhum navalha e tão afiada, nenhuma agulha é tão pontiaguda, nenhuma prensa pressiona tanto quanto a saudade.
A bola que quica o pião que gira, lançado teia, voa; voa junto da imaginação, voa de avião, voa, tira os pés do chão; solta pipa, brinca de balanço caixão; sobe no muro, trepa na árvore, sonha em voar de balão. Com nariz de palhaço e uma coisa maluca na mão, somos um só coração.


CADASTRE-SE GRATUITAMENTE
Você poderá votar e deixar sua opinião sobre este texto. Para isso, basta informar seu apelido e sua senha na parte superior esquerda da página. Se você ainda não estiver cadastrado, cadastre-se gratuitamente clicando aqui