Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto
  Gêneros dos textos  
  Artigos (641)  
  Contos (940)  
  Crônicas (724)  
  Ensaios (169)  
  Entrevistas (35)  
  Infantil (217)  
  Pensamentos (651)  
  Poesias (2528)  
  Resenhas (129)  

 
 
O HOMEM RELIGIOSO
Luis Carlos Lemos da...
R$ 28,00
(A Vista)



Geométricas-03-217
Airo Zamoner
R$ 104,00
(A Vista)






   > Solidão



Renato Chagas Silva
      POESIAS

Solidão

Solidão

Dizer que não importa é uma defesa do coração para o isolamento,
Isolar ou sentir-se isolado é a definição mais concreta de isolamento.
Assim como um lugar qualquer, despovoado...
Coisas que afetam o coração, descampado de sentimentos e deserto de sorrisos.
 
Se até o deserto é provido de vida, por que não o coração?
Talvez porque ele não oferece metades, durante o dia é quente e a noite muito frio,
Já o coração não tempera e se entrega,
Causando retraimento por carregar tanto sentimento.
 
Sim, me importo e me incomodo,
Independente da distância, evito o exílio,
Seja nas memórias ou no alívio,
Não com exatidão, mas tenho dúvidas se carrego no peito um deserto ou um coração.
 
Várias palavras definem o a explosão de adrenalina
Certo é, se há coração não há destempero...
Se há deserto, me entrego por inteiro.
Me fazendo te amar mais ainda.
 
PARA SEMPRE 17



CADASTRE-SE GRATUITAMENTE
Você poderá votar e deixar sua opinião sobre este texto. Para isso, basta informar seu apelido e sua senha na parte superior esquerda da página. Se você ainda não estiver cadastrado, cadastre-se gratuitamente clicando aqui