Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto
  Gêneros dos textos  
  Artigos (651)  
  Contos (939)  
  Crônicas (730)  
  Ensaios (169)  
  Entrevistas (35)  
  Infantil (202)  
  Pensamentos (640)  
  Poesias (2496)  
  Resenhas (129)  

 
 
Elisa pede passagem
Ingrid Regina...
R$ 39,70
(A Vista)



R$ 31,70
(A Vista)






   > O mundo na sua perspectiva



Amauri Marcos dos Santos
      ENSAIOS

O mundo na sua perspectiva

Aos 20 e poucos, quase 30. Isso mesmo, quase 30 anos para finalmente perceber que se esforçar em se enquadrar nessa sociedade maluca dá trabalho. É muito mais cômodo você ser legal com quem é legal com você. É muito mais cômodo você viver cercado de pessoas selecionadas. Livros. Quanta coisa eu li sem conteúdo. Coisas em que perdi meu tempo. Selecione mais. Não deixe que te empurrem coisas. Seu tempo é precioso demais. Então preste atenção nas suas escolhas. Seja você. Se pergunte: Eu realmente quero fazer isso? Estou fazendo por mim? Aprenda a dizer não. A palavra "não" é um excelente filtro de pessoas. Fico contente por ter desenvolvido essa consciência. Apesar de nos relacionarmos com o outro, estamos sempre sozinhos no mundo. Pais, filhos, amigos, maridos, esposas... no final é você com você mesmo. A sua interpretação de mundo é única. Cada corpo com a sua experiência. Por isso, seja criterioso nas escolhas, porque o tempo não espera muito. O "muito" aqui foi uma visão mais otimista. Na verdade, o tempo não espera nada. Então, faça isso enquanto você tem energia. Mexa-se enquanto suas pernas ainda estão firmes no chão. Brigue pelo que você quer ! Pare de achar que você deve algo a alguém.
"Eu conheço um violinista que toca com os pés". Essa foi a resposta do personagem de Charles Chaplin para uma dançarina deprimida, no filme "Luzes da Ribalta". E esse é o espírito ! Enfrente a vida. O ser humano vive para satisfazer seus desejos. Vivemos aflitos, agoniados e até deprimidos pelas coisas que ainda não alcançamos. O que fazemos? Recorremos ao yoga e tai chi para diminuirmos o estresse. Amamos demasiadamente coisas ou pessoas que nos fazem bem com medo de perdê-las. Sufocamos pessoas. Desenvolvemos síndromes. Estamos sempre em busca da família perfeita, que tem como animal de estimação o labrador amarelo do comercial de margarina. Nos esforçamos para conseguir exatamente essa felicidade que nos tentam enfiar goela abaixo. Para no final, descobrirmos que não suportamos choro de criança e que somos alérgicos a cachorro. Acho que o aforismo "Conhece-te a ti mesmo" nunca esteve tão em voga como nos dias atuais.


CADASTRE-SE GRATUITAMENTE
Você poderá votar e deixar sua opinião sobre este texto. Para isso, basta informar seu apelido e sua senha na parte superior esquerda da página. Se você ainda não estiver cadastrado, cadastre-se gratuitamente clicando aqui