Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto
  Gêneros dos textos  
  Artigos (638)  
  Contos (932)  
  Crônicas (730)  
  Ensaios (169)  
  Entrevistas (35)  
  Infantil (202)  
  Pensamentos (638)  
  Poesias (2495)  
  Resenhas (129)  

 
 
Sobrevivendo da...
Marilia Zamoner
R$ 66,90
(A Vista)



Natureza-03-181
Airo Zamoner
R$ 104,00
(A Vista)






   > A metamorfose do lápis



Jose Airton Memoria da Silva
      INFANTIL

A metamorfose do lápis


      O lápis era um menino agitado, travesso e imaturo, em virtude disso era muito bem acompanhado de perto pelo seu pai borracha e sua mãe apontador que na criação do filho agiam com muita sapiência.
       Desde cedo ele começou a escrever sua história no livro da vida e às vezes na ansiedade de preencher muitas páginas com suas proezas se esquecia da prudência e acabava se machucando frente à aspereza que lhe era imposta pelas linhas incólumes que percorria, a ponto de não mais poder rascunhar.
      E sempre que isso ocorria, sua mãe vinha em seu auxílio, ela fazia carinho no local machucado até que o filho ficasse apto a percorrer novamente com riscos e rabiscos as laudas de sua existência. 
        – As feridas se fecham e as cicatrizes só vão torná-lo mais forte para as provações que estão por vir na sua jornada. No início você vai sofrer desgaste e até quebrar, mas nem assim deixará de registrar seus feitos e de ti cuidarei enquanto eu puder, vou dar beijinho até curar.
       Outras vezes a pressa era sua inimiga e na afobação de encher as folhas da vida com muitas aventuras, faltava-lhe atenção ao que fazia e dessa forma acabava se perdendo em suas ações e, por conseguinte, cometia muitos erros por inexperiência.
      Cabia ao seu pai lhe dar suporte, ele guiava o filho apagando os erros cometidos para que o jovem lápis pudesse reescrever da maneira correta a sua história e assim atuava o genitor para melhor educar.
        – Meu filho, eu posso passar por cima e reparar os seus erros agora, mas que eles lhe sirvam de lição para que no futuro não torne a cometê-los. É uma ajuda que só posso lhe proporcionar enquanto você estiver enraizando o aprendizado de sua vivência.
      O tempo passou e o lápis desabrochou após tantos erros e acertos, quedas e afagos, ficou forte e se tornou uma caneta. Ainda continua escrevendo suas façanhas no livro da vida, só que agora de forma permanente; seu pai já não está mais ao seu lado para apagar os seus desacertos e todo erro que vier a cometer ficará para sempre registrado nas entranhas das linhas do seu passado. Ele não poderá contar com as carícias da mãe para lhe restaurar as chagas oriundas das transcrições de seu enredo nas páginas de sua história, pois ela também ao seu lado não mais está. – E como faz falta o beijinho para curar.



CADASTRE-SE GRATUITAMENTE
Você poderá votar e deixar sua opinião sobre este texto. Para isso, basta informar seu apelido e sua senha na parte superior esquerda da página. Se você ainda não estiver cadastrado, cadastre-se gratuitamente clicando aqui