Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto
  Gêneros dos textos  
  Artigos (641)  
  Contos (940)  
  Crônicas (724)  
  Ensaios (169)  
  Entrevistas (35)  
  Infantil (217)  
  Pensamentos (651)  
  Poesias (2529)  
  Resenhas (131)  

 
 
Ruínas-03-332
Airo Zamoner
R$ 104,00
(A Vista)



A Caçada do Tatu
José Daniel Deodoro
R$ 41,90
(A Vista)
INDISPONÍVEL




   > POESIA



Figueira Valter
      POESIAS

POESIA

 A poesia do pantaneiro rasteja na lama

Se molha nas águas do pantanal e se seca

Ao sol e na poeira das estradas sem pavimento. 

A poesia do pampeiro corre a galope

Na garupa de um cavalo, canta ao som

De um acordeão, perde-se na invernadas

Atrás dos chucros e descansa numa roda

De chimarrão. 

A minha poesia não se enquadra em

Nenhum modo ela é diversa, sem estilo,

É o resultado de um sonho,

De um pesadelo e de uma solidão. 

Valter Figueira- do livro POESIAS – ASAS, 1995



CADASTRE-SE GRATUITAMENTE
Você poderá votar e deixar sua opinião sobre este texto. Para isso, basta informar seu apelido e sua senha na parte superior esquerda da página. Se você ainda não estiver cadastrado, cadastre-se gratuitamente clicando aqui