Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto
  Gêneros dos textos  
  Artigos (641)  
  Contos (940)  
  Crônicas (724)  
  Ensaios (169)  
  Entrevistas (35)  
  Infantil (207)  
  Pensamentos (651)  
  Poesias (2525)  
  Resenhas (129)  

 
 
Veículos-03-202
Airo Zamoner
R$ 104,00
(A Vista)



Passagens-03-114
Airo Zamoner
R$ 104,00
(A Vista)






   > EU. ELA E SEUS OUTROS DOIS AMORES. (Luc Ramos)



Luc Ramos
      CRôNICAS

EU. ELA E SEUS OUTROS DOIS AMORES. (Luc Ramos)

                           EU. ELA.  E SEUS OUTROS DOIS AMORES.

 Ontem, pela manhã, quando minha mulher estava escrevendo suas historias, em seu novo Notbook, lembrei-me de quando a conheci. Ela era secretaria de um conceituado advogado de São Paulo.  Deu-me vontade de rir. Um riso histérico, misterioso, e até mesmo impróprio para o motivo que vou apresentar. Ora! Essa tecnologia é marota mesmo. A minha mulher uma senhora dama, de sessenta anos, escrevendo com muita propriedade em seu atualíssimo computador de ultima geração, ao invés de sua velha Olivetti manual. Força dos tempos.  A experiência adquirida, desde suas primeiras poesias, na sua adolescência, fez dela uma conceituada escritora de vários livros de auto-ajuda e historias infantil, onde o seu personagem Tunico, ensina para outras crianças: civilidade, educação e bons costumes. Seus dedos ágeis, surfavam agora a poderosa maquina, criando textos e pequenas historias que muito diverte seus leitores. Daí o motivo do meu riso. O antigo e o atual, juntos, mostravam o poder de criação da mente humana.  Compenetrada como estava, e indiferente ao que se passava ao seu redor, não percebeu que eu havia saído do recinto para atender ao carteiro. Ao retornar ao escritório, para ser notado por ela, tive que pigarrear e chamar a sua atenção para lhe mostrar o seu primeiro CD, que acabara de chegar pelo Sedex: Um CD onde  ela cantava Yesterday  e outras musicas dos anos setenta que eu a levara para gravar em um estúdio de som em São Paulo. E como o produtor que sou, tinha á dirigido nesse projeto meses atrás.  Diga-se de passagem, ela cantava e encantava com sua maviosa voz as canções que tinha escolhido por serem as suas preferidas. Daquele momento em diante, não preciso dizer que não consigo ouvir, dentro da minha própria casa, outra canção que não seja: Yesterday. E, hoje, ela se divide entre o seu competente Nottbook e suas canções.  Estou um tanto enciumado e deixado um pouco de lado por ela. Mas, fazer o que? Como citei acima:  “’ É A FORCA DA TECNOLOGIA INVADINDO A MAIORIA DOS LARES E MODIFICANDO O DIA A DIA DAS PESSOAS”.                                                                                                FIM        



CADASTRE-SE GRATUITAMENTE
Você poderá votar e deixar sua opinião sobre este texto. Para isso, basta informar seu apelido e sua senha na parte superior esquerda da página. Se você ainda não estiver cadastrado, cadastre-se gratuitamente clicando aqui