Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto
  Gêneros dos textos  
  Artigos (641)  
  Contos (940)  
  Crônicas (724)  
  Ensaios (169)  
  Entrevistas (35)  
  Infantil (207)  
  Pensamentos (651)  
  Poesias (2526)  
  Resenhas (129)  

 
 
Na Mesma Moeda
Livino Virginio...
R$ 49,60
(A Vista)



Natureza-02-248
Airo Zamoner
R$ 104,00
(A Vista)






   > O Dia das Mães refletido no espelho



Vicência Jaguaribe
      POESIAS

O Dia das Mães refletido no espelho

 

 Data, data e mais data...

Para que tanta data, meu Deus!

Se eu me chamasse Renata,

Drummond,

seria, mais uma vez, uma rima

sem ser, no entanto, a solução.

Feliz Dia das Mães!

Sopram todos os outdoors

em todas as esquinas.

Gritam todos os comerciais

nos canais de televisão,

nos jornais e revistas impressos

e virtuais também.

Transportam as malas diretas,

 e os encartes das lojas dizem amém.

E o que fazem, nesta data,

sacramentada pela emoção do comércio,

os que não têm (mais) mãe?

E as que não são mães

nem nunca serão mães,

essas figuras que dos filhos são

imbatíveis bastiães?

E, agora, amigo Drummond?

Temos, mais uma vez, uma rima,

sem ter, no entanto, a solução.

E o pior, temos uma rima pobre

que não é trigo e sim joio

e que nem mesmo apresenta

consoante de apoio. 



CADASTRE-SE GRATUITAMENTE
Você poderá votar e deixar sua opinião sobre este texto. Para isso, basta informar seu apelido e sua senha na parte superior esquerda da página. Se você ainda não estiver cadastrado, cadastre-se gratuitamente clicando aqui