Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto
  Gêneros dos textos  
  Artigos (641)  
  Contos (940)  
  Crônicas (724)  
  Ensaios (169)  
  Entrevistas (35)  
  Infantil (217)  
  Pensamentos (651)  
  Poesias (2529)  
  Resenhas (131)  

 
 
Dança de Salão, a...
Maristela Zamoner
R$ 36,60
(A Vista)



Preto no Branco - Verso...
Levi Beltrão
R$ 44,50
(A Vista)






   > DeLíRio ONíRiCo



Arlete Meggiolaro
      POESIAS

DeLíRio ONíRiCo

 

 

Delírio Onírico

 

Paixão, anjo do meu ser copo-de-leite,

cerre os olhos e viaje comigo

nesta mirabolante miragem estonteante...

 

 

Entre os enfeites

das macias plumas do delírio onírico,

o Uno, você e eu, em suaves deleites.

A lua nos espia com a fronte colada na janela.

Sobre  nossa rósea pele orvalhada,

ela resvala a barra da diáfana lingerie prata.

 

 

Cúmplice do nosso querer,

a rainha da noite, nos instiga prazer.

Pousa, em nossa silhueta,

o facho com cachos

de deliciosas alquimias do apetecer.

 

 

Apaixonante  espetáculo de sedução.

Ardor franco unta a cadência.

Nossas mãos entrelaçadas,

no aberto abraço, as peles se beijam.

A ternura se espalha na imensidão do delírio.

Adormecemos no entrelaço.

 

 

A aurora traz, ornado com debrum, o desjejum.

O sol debruça no parapeito

do adormecido anseio,

desperta as plumas-oníricas.

 

Sob o calor do cigano astro,

sem engano, o Uno, era eu só.

Eu a sua "mulher menina", na total lucidez

a espera pela sua embriaguez.

 

Por que não recomeçar tudo outra vez?!

 

© Arlete Meggiolaro

 

 



CADASTRE-SE GRATUITAMENTE
Você poderá votar e deixar sua opinião sobre este texto. Para isso, basta informar seu apelido e sua senha na parte superior esquerda da página. Se você ainda não estiver cadastrado, cadastre-se gratuitamente clicando aqui