Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto
  Gêneros dos textos  
  Artigos (641)  
  Contos (940)  
  Crônicas (724)  
  Ensaios (169)  
  Entrevistas (35)  
  Infantil (207)  
  Pensamentos (651)  
  Poesias (2525)  
  Resenhas (129)  

 
 
Gestão Empresarial e...
Juliane H Cantini
R$ 54,60
(A Vista)



Vida em Palavras
Gilmar Camilo Pereira
R$ 53,40
(A Vista)






   > Como uma onda, a paixão



Maicon da Silva Carlos
      CRôNICAS

Como uma onda, a paixão

Então nos apaixonamos mais uma vez. E aí nos perguntamos: "Até quando vou me apaixonar e desapaixonar?" Sim, pois a paixão parece uma onda demorada... Mas que sempre vem e vai... Algumas duram muito, parece uma ressaca do mar e acaba devastando corações, modificando a paisagem e transformando a vida das pessoas.

Tem paixão que transforma positivamente as nossas vidas, torna a manhã e seu café forte mais doce, e nos dá uma vontade imensa de fazer alongamentos antes de sair pra trabalhar. Tem paixões que transformam nossas tardes em manhãs, acordamos no horário do almoço pra fazer café, ligar a tevê e voltar a dormir. Apesar de que... É positivo acordar no horário do almoço depois de uma ótima noite ao lado da sua paixão e esquecer que você perdeu um dia de trabalho e será descontado no fim do mês, porém não se aborrece, pois sabe que não tem preço ser feliz.

Depois tudo se acaba, pois as diferenças se tornam maiores que as coisas em comum. Ou estão se vendo demais, ou de menos. Alguma coisa está errada, se não está, precisa ficar, aí qualquer coisa é inventada e o mínimo se torna máximo. Percebemos então que a paixão acabou, mas deixamos de perceber que o que na verdade acabou foi a compreensão... Depois de um tempo nos apaixonamos novamente, somos felizes, nos frustramos, deu errado, voltamos a ficar mal, e a roda continua girando. Perguntamo-nos então, o “por que” disso, mas não temos a percepção de que não vamos entender a paixão se não entendermos quem está conosco e nós mesmos.



CADASTRE-SE GRATUITAMENTE
Você poderá votar e deixar sua opinião sobre este texto. Para isso, basta informar seu apelido e sua senha na parte superior esquerda da página. Se você ainda não estiver cadastrado, cadastre-se gratuitamente clicando aqui