Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto
  Gêneros dos textos  
  Artigos (641)  
  Contos (940)  
  Crônicas (724)  
  Ensaios (169)  
  Entrevistas (35)  
  Infantil (207)  
  Pensamentos (651)  
  Poesias (2526)  
  Resenhas (129)  

 
 
Estátuas-02-161
Airo Zamoner
R$ 104,00
(A Vista)



Passagens-03-114
Airo Zamoner
R$ 104,00
(A Vista)






   > Espera longa e inútil



Vicência Jaguaribe
      POESIAS

Espera longa e inútil

Adornou-se de colorida opala,
Abriu as varandas da sala,
Acendeu os lustres e esperou.
Os cabelos, o vento os desfez
O vestido, a chuva o manchou .
 
Fechou as varandas e recolheu-se.
 
Cobriu-se de azul-marinho
Acendeu o abajur e esperou
Perdida numa vereda do caminho.
O tempo pôs-lhe prata nos cabelos
E apergaminhou-lhe o espelho.
 
Cansada da triste delonga
Apagou o abajur e absorveu-se.
Fora a espera por demais longa.
 
Na vertigem do contratempo
Cerrou olhos, ouvidos e boca.
O coração, já então caixa oca,
Completou o trabalho do tempo.
 
 
 
 


CADASTRE-SE GRATUITAMENTE
Você poderá votar e deixar sua opinião sobre este texto. Para isso, basta informar seu apelido e sua senha na parte superior esquerda da página. Se você ainda não estiver cadastrado, cadastre-se gratuitamente clicando aqui