Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto
  Gêneros dos textos  
  Artigos (641)  
  Contos (940)  
  Crônicas (724)  
  Ensaios (169)  
  Entrevistas (35)  
  Infantil (217)  
  Pensamentos (651)  
  Poesias (2528)  
  Resenhas (129)  

 
 
O pássaro Refletól
Lucas Borba
R$ 38,50
(A Vista)



DUBLE - A um passo em...
Guilherme Augusto...
R$ 49,60
(A Vista)






   > Espera longa e inútil



Vicência Jaguaribe
      POESIAS

Espera longa e inútil

Adornou-se de colorida opala,
Abriu as varandas da sala,
Acendeu os lustres e esperou.
Os cabelos, o vento os desfez
O vestido, a chuva o manchou .
 
Fechou as varandas e recolheu-se.
 
Cobriu-se de azul-marinho
Acendeu o abajur e esperou
Perdida numa vereda do caminho.
O tempo pôs-lhe prata nos cabelos
E apergaminhou-lhe o espelho.
 
Cansada da triste delonga
Apagou o abajur e absorveu-se.
Fora a espera por demais longa.
 
Na vertigem do contratempo
Cerrou olhos, ouvidos e boca.
O coração, já então caixa oca,
Completou o trabalho do tempo.
 
 
 
 


CADASTRE-SE GRATUITAMENTE
Você poderá votar e deixar sua opinião sobre este texto. Para isso, basta informar seu apelido e sua senha na parte superior esquerda da página. Se você ainda não estiver cadastrado, cadastre-se gratuitamente clicando aqui