Busca: 

Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha
 
  Área do autor

Publique seu texto

MINHA PRIMEIRA COMUNHÃO

Tinha quase nove anos. Fui criada na religião católica. Meus pais eram muito religiosos. Quando se aproximava o Natal, eles promoviam lá em casa uma novena. Além da família, os vizinhos também participavam. Após a novena, eu me sentava ao piano e tocava várias músicas sacras, inclusive a Ave Maria de Schubert. Todos me aplaudiam, dizendo que eu executava com técnica e sentimento as partituras. Quando completei meus nove anos, minha mãe me informou que a Diretora da minha escola, Da. Neide Arruda Leal, desejava que seus alunos da terceira série fizessem a preparação para a primeira Comunhão com as catequistas da Igreja... (leia mais)

IVETE FLORES CATTA PRETA RAMOS




SEMEADURA

Avistando um aglomerado de mercadores, um andarilho gritou, decidido: - Atenção! Fechem o caminho; vou passar! Surpreso ao sentir um toque em seu ombro, voltou-se e deparou com a razão: - Por que agiste desta forma? Não sabes que é preciso caminho aberto para seguir adiante? O andarilho, sentando-se sob gigantesca árvore de multividências, dirigiu-se à razão, num repente: - Pedi que fechassem o caminho para que minha loucura não fugisse... A razão, mais confusa que convencida, argumentou sem hesitar: - Não há coerência no que dizes. Explica-te ou afasta-te de mim! Cruzando os braços sobre os joelhos, o andarilho insistiu: - Não desejei que minha loucura partisse, por não querer viver comprometido com tua existência mascarada... A razão, indignada, protestou sem mais... (leia mais)

Tânia Gabrielli-Pohlmann




Default



   > Edgard Ferreira dos Santos

  AUTOR  
 
Edgard Ferreira dos Santos
Edgard Santos
Carioca, do Rio Comprido, teve sempre como hobby a leitura. Começou, como fazem aqueles que buscam inspiração, escrevendo poesias. Trabalhando embarcado em plataformas de petróleo, a vista constante do mar azul e de um céu escarlate em fins de tarde contribuiu bastante para isto. Anos mais tarde, outra experiência inesquecível fê-lo tentar a prosa. Nasceu então "Amazônia, um Brasil à Parte". Enveredou pelo romance com "O Vale dos Imortais". Nasce em seguida "Contos de Liberdade e Paixão" e "Outros Poemas". Apaixonado pela literatura e pelas coisas da natureza, atua como professor de inglês dentro da Petrobrás e encontra-se atualmente em fase de revisão de um livro sobre preposições inglesas para estudantes desta língua.